Mini Bio

Renata Queiroz is transdisciplinary professional. She graduated in Medicine at Medical Science College of Minas Gerais in 2002. She is a Psychiatrist, a researcher and practitioner of Psychoanalysis, Kundalini Yoga and body arts, such as acting, dance, Tai Chi Chuan. For over ten years she has been working on alternative and communitary services of Mental Health, in the Public Health System. She studied performing arts at Galpão Cine Horto and acts as actress, dancer and performer since 2012. She is a researcher artist and cocreator of Adeuzará project. Integrates also the collective of artistic creation Stultifera Navis. Currently she participates in the montage process of the theatre play “Dawn of my life,” of Naum Alves de Souza.

Filme Adeuzará

Filme Adeuzara_identidade visual e criação gráfica da Entrecampo

Adeuzará, filme que lança um olhar criativo para os registros audiovisuais das ações e do processo de pesquisa e criação do projeto homônimo, faz sua estreia com duas exibições em Belo Horizonte. A primeira será no dia 27 de junho, segunda-feira, às 20h, no Centro Cultural UFMG (avenida Santos Dumont, 174, centro), seguida de conversa com o poeta e performador Ricardo Aleixo, preparador vocal dos performers e diretor intermídia da instalação cênico-sonora GRIETZSCHE. A segunda sessão será em 7 de julho, quinta-feira, às 19h30, no Cine Sesc Palladium (avenida Augusto de Lima, 420, centro), com comentários de Jardel Sander, professor e pesquisador nas áreas da educação e das artes. A entrada para os dois eventos é gratuita.

Composto atualmente pelos performers pesquisadores Bruno Pacheco, Leandro Silva Acácio, Luciana Tanure e Renata Queiroz, Adeuzará busca partilhar uma leitura experimental do pensamento sensorial do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900), a partir de sua obra Assim Falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. O filme Adeuzará é um registro do processo de pesquisa e criação do projeto, que ao longo de 2015 desdobrou-se em uma série radiofônica, seis intervenções urbanas realizadas no centro de Belo Horizonte, uma videoperformance, um ciclo de palestras, a Mo(n)stra de Videoperformances e uma oficina, que confluíram para a montagem da instalação cênico-sonora GRIETZSCHE.

Desde o início do trabalho essas ações foram registradas em áudio e vídeo. Lançando um olhar criativo para esse material, o coletivo realizou o média-metragem Adeuzará, de 26 minutos, com direção do integrante Bruno Pacheco. O objetivo do filme é mostrar o que vem antes da materialidade da cena, possibilitando ao público o contato com a metodologia da montagem interdisciplinar e multimídia que deu origem à instalação cênico-sonora GRIETZSCHE. “Esse filme se deseja um ato de pensamento sobre os acontecimentos do nosso projeto, mostrando referências, crenças, sentimentos, escolhas artísticas e estéticas de Adeuzará. Interessa-nos comunicar como se deu a transcriação da obra poética e filosófica de Nietzsche para esse mosaico híbrido e vivo de ações e acasos”, afirmam os integrantes.

Nas exibições de lançamento do filme Adeuzará, o coletivo dá continuidade aos encontros que marcaram todo o projeto, trazendo dois convidados para estabelecer um diálogo entre a obra e suas pesquisas e práticas: o artista Ricardo Aleixo e o professor e pesquisador Jardel Sander. Aleixo é poeta, músico e performador. Desde 2007 concentra suas atividades de criação e pesquisa no LIRA (Laboratório Interartes Ricardo Aleixo), no bairro Campo Alegre, na região Norte de Belo Horizonte. Seu mais recente livro é “Impossível como nunca ter tido um rosto”, lançado em 2015, com edição do próprio autor. Sander é professor Adjunto na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (FAE-UFMG), pesquisando e atuando na inter-relação entre arte, corpo e subjetividade, nas áreas da educação (ensino da dança e corpo) e das artes (dança e performance).

O projeto Adeuzará é realizado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura da Prefeitura de Belo Horizonte. Fundação Municipal de Cultura. Projeto 053/2013. Adeuzará participa do Projeto Laboratório da Cena Funarte – Funarte MG 2015 e do Projeto Cena Aberta do Centro Cultural UFMG – Edital Cena Aberta 2014. As exibições do filme Adeuzará têm apoio do Centro Cultural UFMG e do Sesc.

Projeto Adeuzará

Assim Falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém era considerado por Friedrich Nietzsche seu maior presente para a humanidade e como tal foi recebido pelo Adeuzará. O coletivo de criadores de Belo Horizonte tem na obra, uma crítica aos valores ocidentais escrita há 130 anos, em linguagem musical, poética e mística, o ponto de partida para discussões e experimentações artísticas.

Ao longo de 2015, Adeuzará realizou diferentes ações de pesquisa e criação no processo da montagem da instalação cênico-sonora GRIETZSCHE. Tais ações consistem em: Sr. Nit em Pílulas, série de oito programas veiculados na Rádio UFMG Educativa; as intervenções urbanas Leitura Ininterrupta, Nau de Vagar: Estação Zentai, performance com elementos do butô, Como: filosofia a golpes de martelo, Caminhada em Silêncio Contra o Vento e Nau do Silêncio, todas elas realizadas na região da Praça da Estação, no centro de Belo Horizonte; T.R.A.N.S.: um (pré-fixo) para todos e para ninguém?, videoperformance apresentada originalmente na programação científico-cultural do Simpósio Multiplicando os Gêneros nas Práticas em Saúde, realizado em Ouro Preto; Ciclo de Palestras Nietzsche: experimentos práticos, Mo(n)stra de Videoperformances e Oficina Corpo Filosofia Intervenção na Cidade, realizados na Funarte MG.

A instalação cênico-sonora GRIETZSCHE foi apresentada na Funarte MG, nos Centros Culturais Alto Vera Cruz e Salgado Filho, no Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado e no Centro Cultural UFMG, entre setembro e dezembro de 2015. Adeuzará participou da programação da Funarte MG associada à Virada Cultural de BH em 2015, com a intervenção Nau do Silêncio.

ADEUZARÁ
Realização: Adeuzará. | Direção: Bruno Pacheco. | Com: Leandro Acácio, Luciana Tanure, Renata Queiroz, Ricardo Aleixo | País: Brasil. | Ano: 2016. | Duração: 26min. | Classificação livre.

Sinopse
O filme Adeuzará lança um olhar criativo para os registros de ações e acasos do projeto de mesmo nome, que partilha uma leitura experimental do pensamento sensorial de Friedrich Nietzsche, a partir de sua obra Assim Falou Zaratustra.

Ficha técnica
Realização: Adeuzará.
Direção: Bruno Pacheco.
Com: Leandro Acácio, Luciana Tanure, Renata Queiroz, Ricardo Aleixo.
Empresa Produtora: Bezouro.
Comunicação: Barco – Débora Fantini.
Apoio: Centro Cultural UFMG, Funarte MG, Sesc.
Patrocínio: Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

Realizado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura da Prefeitura de Belo Horizonte. Fundação Municipal de Cultura. Projeto LMIC 053/2013.

Lançamento do filme “Adeuzará”

1ª sessão

Data: 27 de junho, segunda-feira.
Horário: 20h.
Local: Centro Cultural UFMG – avenida Santos Dumont, 174, centro, Belo Horizonte.
Telefone: (31) 3409-8290.
Entrada GRATUITA.
Sessão comentada por Ricardo Aleixo.

2ª sessão

Data: 7 de julho, quinta-feira.
Horário: 19h30.
Local: Cine Sesc Palladium – avenida Augusto de Lima, 420, centro, Belo Horizonte.
Telefone: (31) 3270-8100
Entrada GRATUITA, com retirada de ingresso 30 minutos antes da sessão. Espaço sujeito a lotação.
Sessão comentada por Jardel Sander.

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1739569049592334

#nitpop

#nitpop04

Em 1882, Nietzsche descobriu sua paisagem ideal na ilha da Sicília, a realização de sua visão de  uma Grécia rediviva. Essa visão foi também capturada pelo fotógrafo Wilhelm von Gloeden, que havia chegado à Sicília cinco anos mais cedo e, assim como Nietzsche, trocara o frio moralismo protestante de sua Alemanha natal pela liberação sexual oferecida pelo cálido Sul. “Foi lá”, escreveu Nietzsche, “que me deparei com a palavra ‘Super-Homem’.”

Fotografia e texto extraídos do livro Zarathustra’s Secret, de Joachim Kohler.

GRIETZSCHE no Centro Cultural UFMG

Adeuzará apresenta GRIETZSCHE, instalação cênico-sonora livremente inspirada na obra de Friedrich Nietzsche, com direção intermídia do poeta e performador Ricardo Aleixo, no dia 1º de dezembro, terça-feira, às 19h30, no Centro Cultural UFMG, na avenida Santos Dumont, 174, centro de Belo Horizonte, com entrada gratuita.

Adeuzara Centro Cultural UFMG 20150512_120921
Adeuzará em preparação vococorporal com Ricardo Aleixo no Centro Cultural UFMG durante o Projeto Cena Aberta

A apresentação encerra a temporada 2015 da instalação, que começou a ser montada nesse espaço, onde o coletivo participa do Projeto Cena Aberta, entre janeiro e junho, e foi finalizada no Laboratório da Cena Funarte – Funarte MG 2015, de agosto a novembro.

O Projeto Cena Aberta tem como objetivo abrigar a demanda de projetos de pesquisa e experimentação artísticas voltados para as áreas de dança, performance e teatro. Anualmente, por meio de edital, são selecionados grupos de Belo Horizonte para desenvolver suas atividades nos espaços do Centro Cultural UFMG.

Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte e Centro Cultural UFMG apresentam

GRIETZSCHE

Instalação cênico-sonora de Adeuzará
Direção intermídia: Ricardo Aleixo

SERVIÇO
Data: 1º de dezembro, terça-feira
Horário: 19h30
Endereço: Centro Cultural UFMG – avenida Santos Dumont, 174, centro, Belo Horizonte
Telefones: (31) 3409-8290
Entrada GRATUITA.

SINOPSE: Livremente inspirada na obra “Assim Falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém”, de Friedrich Nietzsche (1844-1900), a instalação cênico-sonora explora os diferentes espaços onde é apresentada por meio de experimentos vocais e corporais dos performers, em uma experiência que busca ampliar os canais perceptivos do público.

FICHA TÉCNICA
Apresentação: Fundação Municipal de Cultura, Funarte e Centro Cultural UFMG
Performers pesquisadores: Leandro Silva Acácio, Renata Queiroz, Luciana Tanure, Bruno Pacheco
Direção intermídia: Ricardo Aleixo
Preparação corporal:
1ª fase: workshop de butô com Jeane Doucas (Viçosa/MG)
2ª fase: workshop de BMC (Body-Mind Centering) com Dudude Herrmann (Belo Horizonte/MG)
Preparação vocal: Ricardo Aleixo
Figurino: Renata Queiroz e Adeuzará
Projeto de luz: Leonardo Pavanello
Pesquisa em cenografia/arquitetura: Henrique Gazzola
Produção executiva: Adeuzará e Barco
Projeto gráfico: Tainah Medeiros
Assessoria de imprensa e comunicação: Débora Fantini/Barco
Vídeo (captação, edição, finalização): Bruno Pacheco
Vídeo (imagens adicionais): Cajaíba
Fotografia: Bruno Pacheco, Renata Queiroz, Jennifer Souza, Luciana Tanure
Registro do processo: Bárbara Maia, Clara Cotta, Henrique Gazzola, Ricardo Aleixo e Adeuzará
Contabilidade/Prestação de contas: Marcelo Henrique da Silva Acácio

Adeuzará participa do Projeto Cena Aberta do Centro Cultural UFMG (Edital Cena Aberta 2014) e do Laboratório da Cena Funarte – Funarte MG 2015.

Projeto realizado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura da Fundação Municipal de Cultura e da Prefeitura de Belo Horizonte. (LMIC 053/2013)

ADEUZARÁ é um coletivo de pesquisa de Belo Horizonte (MG), atualmente composto pelos performers pesquisadores transdisciplinares Bruno Pacheco, Leandro Acácio, Luciana Tanure e Renata Queiroz. Pretende partilhar uma leitura experimental do pensamento de Friedrich Nietzsche, a partir de sua obra “Assim Falou Zaratustra: Um Livro Para Todos e Para Ninguém”. O projeto Adeuzará é realizado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte. Adeuzará participa do Projeto Cena Aberta do Centro Cultural UFMG e do Laboratório da Cena Funarte – Funarte MG 2015. Escritos, imagens e outros conteúdos sobre o projeto encontram-se neste blog adeuzara.wordpress.com. Adeuzará também está nas redes sociais: Facebook www.facebook.com/adeuzara, Twitter @adeuzara e Soundcloud soundcloud.com/adeuzara

Mostra de Videoperformances

Um dos desdobramentos do projeto Adeuzará é a produção de videoperformances, criadas a partir da documentação em áudio e vídeo das intervenções urbanas realizadas no centro de Belo Horizonte desde janeiro de 2015. Para compartilhar esses trabalhos com o público, o coletivo realiza a Mostra de Videoperformances, na qual também apresenta vídeos de outros oito artistas convidados, que atuam em Belo Horizonte e São Paulo: Christina Fornaciari (BH), Os Conectores (BH), Daniel Barra (SP), Luciana Tanure (BH), Marcelo Kraiser (BH), Paola Rettore (BH), Paulo Bueno (SP) e Ricardo Aleixo (BH).

A Mostra de Videoperformances será realizada no dia 10 de novembro, terça-feira, a partir das 20h, na Funarte MG (rua Januária, 68, centro, Belo Horizonte, Brasil). Trata-se de uma atividade de compartilhamento do Laboratório da Cena Funarte – Funarte MG 2015, do qual Adeuzará participa. A entrada é gratuita.

PROGRAMA

Bota aí
Daniel Barra e Paulo Bueno (SP)

Duração: 3’14”
Ficha técnica
Criação, direção e performance: Daniel Barra
Assistência: Guilherme Funari
Desenho de Luz: Marcel Gilber
Fotos: Paulo Papaleo
Vídeo: Paulo Bueno
Arte: Danilo Cajaíba

Sinopse: Botaí foi criado a convite do 21º Festival Mix Brasil da Diversidade Cultural. Diante de uma maioria de trabalhos abordando a temática homossexual e queer, esta peça propõe o desafio de levar o homem-macho para dentro desse contexto e aborda-lo à luz da cultura da diversidade. Botaí é uma performance coreográfica que sustenta o lugar da masculinidade como uma construção social. A relação entre os corpos que se observam em círculo dispara um processo ontológico no corpo do performer que parte em busca de um passado primitivo e um presente cheio de potencialidade. É nesse espaço entre, virtual e comum, que se atualizam o formato e a performatividade do sujeito em questão. No decorrer desse encontro, a responsabilidade social na construção do outro vai sendo sublinhada, “o homem” somos nós que produzimos dia após dia, para além das nomeações e dos gêneros. Por fim, Botaí aparece como um pedido de ajuda: ninguém existe sozinho.
Pequenas Navegações – Sargaços
Marcelo Kraiser (BH)
Duração: 9’34”

Ficha técnica
Dança: Dudude Herrmann, Izabel Stewart, Paola Rettore
Poesia: Paola Rettore
Imagens: Marcelo Kraiser e Paola Rettore
Música: Mordechai-ben Ephraim, Marcelo Kraiser
Figurinos: Dudude Herrmann, Izabel Stewart, Paola Rettore
Graphonoptiks: Marcelo Kraiser
Poemas e Vozes: Alckmar Santos, Fernando Aguiar, Frank Baez, Josie Cáceres, Marcelo Kraiser, Paola Rettore, Vera Casa Nova
Design: Lais Freire

Body Poem
Marcelo Kraiser (BH)
Duração: 6’03”

Ficha técnica
Dança: Paola Rettore
Poesia: Fernando Aguiar
Vídeo: Marcelo Kraiser
Música: Mordechai-ben Ephraim
Produção: Rosaly Senra, Vera Casa Nova

Dinâmica de Leitura
Ricardo Aleixo (BH)
Duração: 13”

Sinopse: O livro Cartas ao Mundo, de Glauber Rocha, folheado por Ricardo Aleixo, que segura a câmera com a mão esquerda. Música incidental: Carta de amor, do cd Mágico: carta de amor, de Egberto Gismonti, Charlie Haden, Jan Garbarek (1981). Vozes de bebês. Nenhuma ideia na cabeça, nada no bolso e nas mãos.
Real Irreal
Ricardo Aleixo (BH)
Duração: 1’29”
Ficha técnica
Direção, câmera, edição, poema, voz e sound design: Ricardo Aleixo.
Sinopse: Videopoema de 2008.

Karawane
Ricardo Aleixo (BH)
Duração: 1’06”

Ficha técnica

Voz: Ricardo Aleixo

Tambor: Gil Amâncio

Sinopse: Recriação sonora do poema Karawane, de Hugo Ball, durante a performance Um Ano Entre Humanos, realizada no Itaú Cultural, em São Paulo, durante o projeto Outros Bárbaros, em 2005.

Transito?

Os Conectores (BH)
Duração: 3’23”
Sinopse
: Registro da performance de rua Transito? durante o Vazio Festival de Performance, em Manaus, Amazonas, em novembro de 2010.

Video-duetos (trípticos)
Christina Fornaciari e Luciana Tanure (BH)

Duração: 12’46”
Sinopse: Projeto duracional de colaboração entre as artistas Christina Fornaciari e Luciana Tanure. Um novo dueto é criado a cada duas semanas, durante 6 meses. Os encontros abordam a experiência da maternidade e acontecem somente no espaço virtual, sem a combinação prévia entre as artistas. Vídeo de 2013.
T.R.A.N.S: um (pré-fixo) para todos e para ninguém?

Adeuzará (BH)

Duração: 2’35”

Ficha técnica

Videoperformance realizada pelo coletivo ADEUZARÁ para o Simpósio Multiplicando os Gêneros nas Práticas de Saúde, de 21 a 25 de Maio, em Ouro Preto, Minas Gerais.

Trilha Sonora: Heldenklage, de Friedrich Nietzsche executada por Lauretta Altman do álbum The Music of Friedrich Nietzsche

Performers: Leandro Silva Acácio, Renata Queiroz e Luciana Tanure

Câmera, edição e finalização: Bruno Pacheco

Assistente de produção: Clara Cotta

Assessoria de imprensa e comunicação: Débora Fantini – Barco

Sinopse: “É tênue a travessia para o avesso das coisas. Quando você percebe, já é!” (Viviane Ferreira). O prefixo t.r.a.n.s exprime o significado de além de, para além de, em troca de, através; porque se trata antes de uma pergunta, o trabalho é marcado por esse furo; ele mostra tentativas e possibilidades de expressão plástica e performática do prefixo t.r.a.n.s, encontradas no percurso investigativo.
Como: filosofia a golpes de martelo

Adeuzará (BH)

Duração: aprox. 1’

Ficha técnica

Performers pesquisadores: Leandro Acácio, Luciana Tanure, Renata Queiroz, Débora Fantini

Câmera, edição e finalização: Bruno Pacheco

Assessoria de Imprensa e Comunicação: Débora Fantini – Barco

Sinopse: A mesa está posta e o banquete já foi servido. Menu do dia: Entrada: Costumes, Paradigmas, Dogmas, Valores. Prato principal: Ética, Política, Razão, Sexualidade, Religião. Sobremesa: Verdade, Ilusão. Convidados de Honra para a pândega: a marreta e o martelo. Está servido?
Caminhada em silêncio contra o vento

Adeuzará (BH)

Duração: aprox. 1’

Ficha técnica

Performers: Adeuzará e convidados.

Câmera, edição e finalização: Bruno Pacheco

Assessoria de imprensa e comunicação: Débora Fantini – Barco

Sinopse: Como Nietzsche já indicava a necessidade de andar para pensar, nesta intervenção urbana os integrantes de Adeuzará propuseram ao público presente uma caminhada, em silêncio, que percorreu: Avenida dos Andradas, Praça da Estação, Estação Central do Metrô, Rua Sapucaí, Viaduto Santa Tereza e Rua da Bahia, um trajeto atravessado por um rio (Ribeirão Arrudas, canalizado), um túnel (passagem abaixo do nível do solo na estação de metrô) e uma ponte (o Viaduto Santa Tereza), dentre outros locais. Esta intervenção contou com a participação de 80 pessoas. Caminhada silenciosa por avenidas, praças, túneis, ruas e pontes da região central da cidade. Espaços para acolher os imprevistos e afetos dos quais o cotidiano urbano é feito.

Flyer Adeuzara GRIETZSCHE novembro 2015

GRIETZSCHE – Temporada de novembro

Flyer Adeuzara GRIETZSCHE novembro 2015

Em novembro, Adeuzará realiza três novas apresentações da instalação cênico-sonora GRIETZSCHE, uma Mostra de Videoperformances e a oficina Corpo Filosofia Intervenção na Cidade, atividades de compartilhamento do Laboratório da Cena Funarte – Funarte MG 2015, do qual o projeto participa.

PROGRAMAÇÃO

Todas as atividades abaixo são GRATUITAS e serão realizadas na Funarte MG – Rua Januária, 68, Centro, Belo Horizonte (MG). Telefone: (31) 3213-3084

:: GRIETZSCHE – novas ‘presentações

7 (sábado), 17 e 24 (terças-feiras) de novembro, às 20h

Com Adeuzará. Direção intermídia: Ricardo Aleixo. Sinopse: Livremente inspirada no livro “Assim Falou Zaratustra”, de Friedrich Nietzsche (1844-1900), a instalação cênico-sonora explora os diferentes espaços onde é apresentada por meio de experimentos vocais e corporais dos performers, em uma experiência que busca ampliar os canais perceptivos do público.

Mostra de Videoperformances

10 de novembro, terça-feira, 20h

Serão exibidas produções criadas a partir da documentação em áudio e vídeo das intervenções urbanas realizadas por Adeuzará no centro de Belo Horizonte desde janeiro de 2015. O programa inclui dois vídeos inéditos, além de T.R.A.N.S.: um (pré-fixo) para todos e para ninguém?, apresentado originalmente em Ouro Preto (MG), na programação científico-cultural do Simpósio Multiplicando os Gêneros nas Práticas em Saúde, em maio, e, posteriormente, na capital mineira, no ciclo de palestras, em junho.

Oficina Corpo Filosofia Intervenção na Cidade

21/11, sábado, 14h a 19h. 20 vagas.
Público: Artistas, estudantes e demais interessados em teatro, performance e intervenção urbana, a partir de 18 anos. Inscrições de 9 a 13 de novembro, pelo e-mail adeuzara@gmail.com. Apresentar minicurrículo e carta de intenção.

Oferecerá uma visão geral da pesquisa desenvolvida por Adeuzará, que explora a relação entre corpo e cidade em ações baseadas na linguagem das intervenções urbanas, impulsionadas pelas falas da personagem Zaratustra e pelos conceitos de memória, fluxo, arquitetura, ponte, presença, pertencimento, esvaziamento, comunidade, empoderamento. Em uma imersão de 5 horas-aula orientada pelos integrantes do coletivo, será construída junto aos participantes uma ação na passarela localizada nas imediações da Funarte MG.

Sobre Adeuzará

Adeuzará é um coletivo de pesquisa de Belo Horizonte (MG), atualmente composto pelos performers pesquisadores transdisciplinares Bruno Pacheco, Leandro Silva Acácio, Luciana Tanure e Renata Queiroz. Pretende partilhar uma leitura experimental do pensamento de Friedrich Nietzsche, a partir de sua obra Assim Falou Zaratustra: Um Livro Para Todos e Para Ninguém. O projeto Adeuzará é realizado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte. Adeuzará participa atualmente do Laboratório da Cena Funarte – Funarte MG 2015 e do Projeto Cena Aberta do Centro Cultural UFMG. Escritos, imagens e outros conteúdos sobre o projeto encontram-se no blog adeuzara.wordpress.com. Adeuzará também está nas redes sociais: Facebook www.facebook.com/adeuzara, Twitter @adeuzara e Soundcloud soundcloud.com/adeuzara.

Sobre Laboratório da Cena Funarte – Funarte MG 2015

Adeuzará é uma das 12 propostas que integram o projeto Laboratório da Cena Funarte – Funarte MG 2015. Entre agosto e novembro de 2015, o coletivo finaliza a montagem da instalação cênico-sonora GRIETZSCHE e realiza dois ensaios abertos, três apresentações, uma intervenção urbana com participação do público, uma mostra de videoperformances e uma oficina, atividades de compartilhamento gratuitas.

GRIETZSCHE – Temporada de outubro

GRIETZSCHE Adeuzara Temporada de outubro

Em outubro, Adeuzará realiza 5 apresentações gratuitas de GRIETZSCHE* em centros culturais de Belo Horizonte.

:: Centro Cultural Alto Vera Cruz
21, quarta-feira, e 27 de outubro, terça-feira, 20h
Endereço: Rua Padre Júlio Maria, 1.577, Alto Vera Cruz
Telefones: (31) 3277-5618 e (31) 3277-5612

:: Centro de Referência da Cultura Popular e Tradicional Lagoa do Nado
25 de outubro, domingo, 12h30 e 16h30
Endereço: Rua Ministro Hermenegildo de Barros, 904, Itapoã
Telefone: (31) 3277-7420, (31) 3277-6746 e (31) 3277-7336
Atividade do evento Domingão Cultural.

:: Centro Cultural Salgado Filho
29 de outubro, quinta-feira, 19h30
Endereço: Rua Nova Ponte, 22, Salgado Filho
Telefone: (31) 3277-9624

* GRIETZSCHE é uma instalação cênico-sonora de Adeuzará, com direção intermídia de Ricardo Aleixo, na qual a pesquisa do coletivo volta-se para a exploração microestrutural de espaços e aos experimentos com diferentes registros vocais e corporais, com o fim de propiciar ao público a ampliação de seus canais perceptivos.

Adeuzará é um coletivo de pesquisa de Belo Horizonte (MG), atualmente composto pelos performers pesquisadores transdisciplinares Bruno Pacheco, Leandro Acácio, Luciana Tanure e Renata Queiroz. Possui caráter poliverso, que se desdobra na produção de uma execução radiofônica, intervenções urbanas, um ciclo de palestras e uma instalação cênico-sonora. Pretende partilhar uma leitura experimental do pensamento de Friedrich Nietzsche, a partir de sua obra “Assim Falou Zaratustra: Um Livro Para Todos e Para Ninguém”, texto vibrátil, dinamite, que extrapola os territórios reconhecidos, dialoga com toda forma ou não-forma de arte e incide diretamente na vida. Tal como fez Zaratustra, o coletivo deseja promover encontros com os corpos na cidade, buscando desvios, rotas de fuga, zonas de passagem subjetivas através de suas ínfimas fissuras.

Adeuzará é realizado com recursos da Lei de Incentivo à Cultura da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte. Participa atualmente do Laboratório da Cena FunarteFunarte MG 2015 e do Projeto Cena Aberta do Centro Cultural UFMG.